Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

FUGAS DO MEU TINTEIRO

Imagens e palavras de um mundo onde há menos gente

FUGAS DO MEU TINTEIRO

Imagens e palavras de um mundo onde há menos gente

A princesa renascida

João-Afonso Machado, 19.02.21

IMG_1320.JPG

Era uma vez uma Princesa tão gorda que só ocupava espaço. E não um espaço qualquer, nunca caberia na varanda do palácio onde a Família Real era aclamada pela multidão em baixo.

Acabrunhada, a coitadinha ocupou a torre de menagem toda, onde se guardava o tesouro do Reino. O povo andava descontentíssimo, o monarca desolado.

Sucedera, a Corte fora infiltrada por um pérfido espião que viciara a princesinha em chocolates. De tal modo, os seus Augustos Pais compravam todo o leite nacional e derretiam o tesouro Real importando cacau e a remunerar mestres chocolateiros suíços. Claro, pretendentes à Princesa – nem vê-los. Ela era um rombo financeiro em qualquer nação.

Constou, entretanto, ocorreria uma revolução e esse tesouro seria roubado. Sua Majestade rejubilou e ordenou ao Regimento de Lanceiros da Rainha fossem todos desatolar a princesa à torre e a levassem a um passeio.

Os revoltosos… convencidos que sacavam lingotes de ouro, surripiavam apenas chocolates – de leite, carregados de avelãs, nozes, amêndoas…

Regressando a Princesa… houve pranto e… saladas. Muitas saladas. Custou, mas… lá sobreveio o emagrecimento, a dança (que real umbiguinho!) e, belíssima, a Princesa dirige agora, também, a associação de protecção mundial de baleias e cachalotes. 

 

https://anadedeus.blogs.sapo.pt/era-uma-vez-uma-princesa-tao-gorda-que-26499?thread=86403#t86403

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.