Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

FUGAS DO MEU TINTEIRO

Imagens e palavras de um mundo onde há menos gente

FUGAS DO MEU TINTEIRO

Imagens e palavras de um mundo onde há menos gente

Desafio lápis de cor|o azul pool

João-Afonso Machado, 03.03.21

MERGULHO.JPG

O feitio rezingão do Minho é por demais evidente ao longo do ano. Sobretudo para quem olha o céu: carregado, a faiscar dos olhos e fazendo ecoar as suas crises de fúria; silvando nas árvores, chorando convulsivamente no meio de tantos brados e cores do seu bem-estar. Mas tem dias em que acorda entusiasmado e, todo ele, abóboda celeste, é azul, azul e azul, como Portugal nasceu sobre a beatitude do branco imaculado.

Então o Minho espevita, acalora-se e desafia as longitudes magrebianas. Estamos no Verão, e os minhotos sentem-se ressequir.

Sempre foi isto. Os mais jovens buscavam a sua salvação nos rios e ribeiros, nas poças e nos lagos e tanques. Depois, em menos de um fósforo, as boas cores celestiais viram-se espelhadas no solo. Era a nova vaga das piscinas.

Porque não há cereal que valha uma farta estadia de turistas, carregados de libras, coroas, ou mesmo vergados ao peso dos muitos euros que cá podem descarregar.

Assim nasceu o turismo rural. Nunca prescindindo das piscinas de fundo bem azul, límpido como o céu que os turistas buscam neste paraíso, a quererem, também, um pouco para si.

Mais a mais, se alguma cobra distraída - uma dessas enormes rateiras - nas suas deambulações nocturnas escorrega e cai lá dentro, não tem por onde se esconder. Tudo estará em colocar a botija de oxigénio, empunhar o arpão e mergulhar, como se de uma reles moreia se tratasse...

E com os cães? Assunto por estudar. A Ciência não diz ainda porque há-os que só aceitam o verde vegetal, nas águas paradas das poças (voltamos nós ao lápis que se segue...), e os há, também, exímios no mergulho e natação nas piscinas. Falo de perdigueiros e da minha Dona Mécia, por exemplo, sempre a par comigo, bracejando, bracejando, aí de mim não fosse mais extenso de corpo! A subir depois as escadinhas, sem auxílio, gozando burguesmente o azul-claro da piscina onde entrou de cabeça, e vindo para a minha toalha - blue forever - a secar-se, talvez na indecência de uma nudez que aconselharia o maillot... azul-menina.

 

(Um desafio da Fátima Bento - https://porqueeuposso.blogs.sapo.pt/olho-azul-claro-465161)

 

 

20 comentários

Comentar post