Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

FUGAS DO MEU TINTEIRO

Imagens e palavras de um mundo onde há menos gente

FUGAS DO MEU TINTEIRO

Imagens e palavras de um mundo onde há menos gente

Esta sexta

João-Afonso Machado, 15.04.22

SEMANA SANTA.jpg

Gosto  do mistério dos dias assim, acordando a jejuar dizeres e em andares nos bicos dos pés. Sem que a gente perceba exactamente porquê, apenas sentindo no ar o recato e o peso crescente da angústia toda do início da tarde. O dia mais arroxeado do ano. Assinalado por cruzes tão mudas quanto a morte que os tambores anunciarão logo à noite compassada, tetricamente.

Alguém morreu, pois, decerto nesta sexta-feira diferente dos mais dias somados. E por isso esta carestia de gestos e palavras, as vozes bichanando pela cidade inteira.

Talvez o domingo próximo faça alguma luz em cima de tal breu, de repente perfurado pelo lancinante cornetim do bombeiro que - antes da ceia - marcha ao centro na avenida.

 

4 comentários

Comentar post