Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

FUGAS DO MEU TINTEIRO

Imagens e palavras de um mundo onde há menos gente

FUGAS DO MEU TINTEIRO

Imagens e palavras de um mundo onde há menos gente

"Os dois um dia"

João-Afonso Machado, 07.10.21

PAI COMIGO.jpg

Numa vinha matinal quase de nevoeiro

ambos, as armas

e o meu perdigueiro.

 

Foram muitas perdizes levantadas,

os tiros, penas poisando entre os bardos

na queda e, sempre arteiro, peças cobradas

pelo meu perdigueiro.

 

Sol alto de cartucheira vazia.

Um andar mais vagaroso de horas de salto

e a derradeira paragem,

a moita, esta menos afoita não fugiria

ao empenho garboso, tão prazenteiro,

do meu perdigueiro.

 

Três disparos, o último fatal,

mai-lo bom sorriso conhecedor

de quem sabe e muito pode…

- Filho dei-lhe um bigode, mas para quê essa dor

se vivemos o sem-tempo imortal?

Pois eu ainda inconformado (duas só e um coelho enganchado),

- Pai, Pai, isto foi trabalho inteiro do meu perdigueiro!

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.