Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

FUGAS DO MEU TINTEIRO

Imagens e palavras de um mundo onde há menos gente

FUGAS DO MEU TINTEIRO

Imagens e palavras de um mundo onde há menos gente

"Um tom mais claro de palidez"

João-Afonso Machado, 25.02.22

IMG_5729.JPG

Num repente contámos os anos e medimos a distância do tempo. Demos conta do nosso curvilíneo e imprevisivel segmento de recta. Conquanto a dança não parasse, nem mesmo com a morte de Gary Brooker.

Ainda o vislubrámos, voz dos Procol Harum, menos melódica em concerto na Dinamarca... E tornámos a dançar...

(Egas, no desenho que me ofereceste, sobre a minha secretária, meiguíssimo, a espreitar esbugalhadamente, de olhos calados a dizer o teu nome - tu!, tu!, tu!, artista, mulher querida, parte da minha alma...)

E a dançar permanecemos. Whiter Shade of Pale. Às vezes, com a prosápia do Conquistador. Porque nenhuma guerra venci que tivesse assim valido a pena.

Tudo a morte reúne. Um dia lá estarei - eu, o que falto - num baile em que Egas também dará o seu pézinho de dança. Mas para já a saudade. «As the miller told his tale/That her face at first just goustly/Turned a whiter shade of pale».

Não são fantasmas, somente as caladas e esvoaçantes mariposas: todos os intervenientes, Egas incluido, num momento feliz da vida. Porventura na palidez da emoção... Que contigo, minha querida, agradeço a Gary Brooker no baile imenso da Eternidade.

 

8 comentários

Comentar post